As “Pretas Feiticeiras” na perspectiva da Arqueologia da Diáspora Africana

Autores

  • Estefania Jaékel da Rosa

Palavras-chave:

Arqueologia da Diáspora Africana, Mulheres negras, Religiões de matriz africana

Resumo

Este artigo aborda algumas questões sobre a materialização das crenças afro-religiosas praticadas nos lares das mulheres negras nas periferias de Bagé e de Pelotas, compreendendo esses conhecimentos situados enquanto saberes afro-diaspóricos ancestrais, perpassados por gerações, através da oralidade. Seguindo a busca por uma prática arqueológica feminista e decolonial, esta etnografia arqueológica, desenvolvida a partir da observação e do convívio com essas mulheres, demonstra como seus saberes e experiências foram importantes no processo de aprendizado sobre a materialização do sagrado afro-religioso, tornando suas narrativas centrais no entendimento sobre a potência existencial das coisas que fazem morada em suas Casas e aquelas que podemos identificar em escavações arqueológicas. Nesse sentido, a crítica feminista e decolonial sobre a Arqueologia da Diáspora Africana pode contribuir com novas epistemologias, ancoradas nas subjetividades e agenciamentos dessas mulheres negras que resistem cotidianamente às opressões e privações impostas pela colonialidade. Essa postura visa contribuir ainda com leituras mais abrangentes sobre os contextos arqueológicos da diáspora africana, incluindo perspectivas que dialogam com as comunidades negras da contemporaneidade.

Downloads

Publicado

2021-09-02

Como Citar

Jaékel da Rosa, E. . (2021). As “Pretas Feiticeiras” na perspectiva da Arqueologia da Diáspora Africana. COISAS DO GÊNERO: REVISTA DE ESTUDOS FEMINISTAS EM TEOLOGIA E RELIGIÃO, 7(1), 54–78. Recuperado de http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/848