COISAS DO GÊNERO: REVISTA DE ESTUDOS FEMINISTAS EM TEOLOGIA E RELIGIÃO http://revistas.est.edu.br/index.php/genero <p>COISAS DO GÊNERO é um periódico eletrônico semestral do Núcleo de Pesquisa de Gênero e do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST. A revista publica pesquisas científicas, relatos de experiências, resenhas e entrevistas inéditas escritas em português e espanhol e traduzidas de outros idiomas. Enfoca a produção em Estudos de Gênero, Feministas e de Diversidade Sexual nas áreas das Ciências Humanas e Ciências Sociais. Tem caráter interdisciplinar e inclui o entrecruzamento das questões de gênero e sexualidade com outros marcadores sociais como classe social, raça e etnia, geração, deficiência. Assume como foco principal a produção no âmbito da Teologia e das disciplinas que se ocupam com o estudo das religiões.</p> <p>Este periódico está indexado no <a href="https://www.sumarios.org/revista/coisas-do-gênero">Sumários.org</a>, Google Acadêmico e no Catálogo da Biblioteca da Faculdades EST. Cadastrado no <a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/2422">Diadorim</a>, diretório de políticas das revistas científicas brasileiras sobre o acesso aberto aos artigos por meio de repositórios institucionais.</p> Faculdades EST pt-BR COISAS DO GÊNERO: REVISTA DE ESTUDOS FEMINISTAS EM TEOLOGIA E RELIGIÃO 2447-2654 Feminismos e atuação política: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/855 Cássio Rodrigues Faria Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 167 172 Resenha: Rosa Luxemburgo e a reinvenção da política http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/856 Oneide Bobsin Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 173 179 Poesia, feminismo e resistência na escrita de Rupi Kaur http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/844 <p>As mulheres se fazem presentes como protagonistas nos versos de diversos poemas e têm conquistado cada vez mais espaço na Literatura, traçando suas concepções e compartilhando suas convicções na autoria de diversas obras. Assim sendo, este estudo tem por objetivo analisar a obra da autora canadense Rupi Kaur, como forma de reflexão acerca de questões sobre o espaço da mulher na sociedade, tais como a sentimento feminino, desigualdade de gênero, a desconstrução de estereótipos e violência. A literatura de autoria feminina, suas representatividades e diálogos, a inserção do pensamento feminista na prática literária na interiorização da perspectiva feminista, dando voz às mulheres na luta pelo reconhecimento, direito e respeito. Os poetas com suas expressões emolduradas por intermédio das palavras compreendem a virtude de despertar nos legentes pensamentos críticos-reflexivos, possibilitando uma visão profusa e crítica do próprio ser e da sociedade.</p> Luciano Dias de Sousa Mileane Andrade Azevedo Marcos Antônio Pereira Coelho Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 112 122 Mulheres e Igreja Católica: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/852 <p>O presente artigo busca avaliar a relação entre mulheres trabalhadoras rurais e a Igreja Católica, a partir do surgimento das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), especialmente, na reabertura democrática no Brasil. O problema que orienta a pesquisa pode ser sintetizado na seguinte pergunta: É possível pensar uma aproximação das mulheres trabalhadoras rurais e a Igreja Católica no Brasil por meio das Comunidades Eclesiais de Base? Com base nos dados levantados a partir de um conjunto de pesquisas realizadas sobre o tema, que estão refletidas nas referências bibliográficas que dão sustentação ao presente estudo, é possível afirmar, como hipótese, que as Comunidades Eclesiais de Base, enquanto expressão da Igreja Católica na sua vertente mais popular, possibilitou a aproximação entre as mulheres trabalhadoras rurais e a própria Igreja, na medida em que possibilitou um espaço de questionamento das relações de dominação existentes também no campo, o que incluiu algumas questões de gênero. O objetivo geral do texto consiste em analisar as mudanças de postura da Igreja Católica diante das aproximações entre mulheres e Igreja Católica promovidas pelas Comunidades Eclesiais de Base. Os objetivos específicos do texto, que se refletem na sua estrutura em três seções, são: a) abordar a relação entre mulheres e Igreja Católica a partir de uma perspectiva histórica; b) estudar aspectos da Teologia da Libertação e do surgimento das Comunidades Eclesiais de Base e sua importância na aproximação da Igreja Católica com pautas sociais; c) analisar como se deu a mobilização das mulheres trabalhadoras rurais a partir da influência das Comunidades Eclesiais de Base. Trata-se de pesquisa qualitativa, sendo que o método de abordagem empregado foi dialético. Como procedimento, a pesquisa se ampara no estudo bibliográfico e documental.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Fernanda Lavinia Birck Schubert Joice Graciele Nielsson Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 123 137 A travessia do patriarcado moderno para o feminismo dos 99% http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/853 <p>Por muito tempo, o termo patriarcado foi definido como “governo do pai”, “o poder do pai”, que está correto, se considerarmos o tempo histórico anterior à modernidade. Neste artigo, trato do patriarcado da modernidade, construído lado a lado com o capitalismo. Assim, adoto a teoria dual: capitalismo e patriarcado, dois sistemas de opressão estrutural que se beneficiam da subordinação da mulher através da divisão sexual do trabalho. No patriarcado moderno, a mulher não está submetida a um homem, mas aos homens, que estão nos espaços de poder e de decisão. Patriarcado moderno e modernidade se confundem na sua formação e, assim, foi tipificada nos códigos civis a subordinação das mulheres aos homens. A subordinação e hierarquização foram baseadas em teorias que ressaltam as diferenças biológicas entre mulheres e homens, afirmando que havia uma esfera própria da mulher. A diferença sexual se espraiou para a esfera pública e justificou o homem como um ser da razão e a mulher como um ser da natureza, caracterizando a teoria maternalista. A razão, a autonomia e a liberdade foram atribuídas aos homens e às mulheres, o cuidado do outro. Sendo assim, busco mostrar como o feminismo da diferença sexual ratifica o patriarcado moderno e o neopatriarcado, enquanto o feminismo dos 99%, que considera, além das desigualdades de sexo, a desigualdade econômica, social e racial, atravessa o patriarcado. E uma das principais pautas para desconstruir com o patriarcado moderno e suas novas manifestações é exigir paridade dos diversos espaços.</p> Rita de Cássia Krieger Gattiboni Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 138 151 Patriarcado, desigualdade de gênero e violência: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/854 <p>Este ensaio teórico tem como objetivo principal buscar conhecer qual o papel da mulher na sociedade contemporânea, já que ainda são negados direitos e papéis sociais às mulheres em razão exclusivamente de gênero. Dessa forma, os objetivos específicos estão estruturados em três seções trabalhadas ao longo da construção deste ensaio teórico, são eles: a) pesquisar sobre a relação entre patriarcado e capitalismo, e como isso se relaciona com as desigualdades de gênero; b) estudar, ainda que brevemente, sobre a violência contra a mulher, já que esta violência torna-se naturalizada e, praticamente invisível pelo patriarcado; e, por fim, busca-se c) compreender qual seria o papel da mulher na sociedade contemporânea, que ainda é uma sociedade de homens. Assim, a problemática de pesquisa parte do pressuposto de que em uma sociedade patriarcal e capitalista, que naturaliza a lógica de opressão-dominação dos homens sore as mulheres, qual é o papel da mulher? A metodologia utiliza o método indutivo e a revisão bibliográfica, por livros, revistas e pela busca eletrônica por artigos científicos no Google Acadêmico e Scielo, que tenham alguma relação com a temática de pesquisa. Assim, a nossa sociedade atual é sinalizada pela desigualdade de gênero nos mais variados espaços, como social, econômico e principalmente, político. Toda essa dissemelhança nos instiga a contestar os fenômenos sociais e buscar sua transformação, especialmente no que se refere aos processos de dominação e exploração do homem sobre a mulher, presente no patriarcado.</p> Aline Rodrigues Maroneze Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 162 176 O debate sobre o direito ao aborto no Brasil: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/842 <p>O presente trabalho procura debater o tema geral do aborto induzido no Brasil, se propondo a compreender e discutir os avanços e os impasses do agendamento político da legalização do aborto no Brasil, através de narrativa multicentrada para a questão posta, mobilizando os campos discursivos críticos da teoria política dos movimentos feministas e da Igreja Católica, no período iniciado na década de 1980, com o fim do regime militar e início do processo de redemocratização. A metodologia utilizada é uma pesquisa qualitativa exploratória, em que o procedimento de interpelação do objeto é predominantemente bibliográfico.</p> Maria Clara de Mendonça Maia Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 7 24 Direitos das mulheres: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/846 <p>Este artigo aborda o tema dos direitos humanos das mulheres; consequentemente, leva a reflexão sobre a prevenção e enfrentamento às violências contra as mulheres, pois estas violências são consideradas uma das principais afrontas aos direitos humanos das mulheres. O faz numa perspectivada da paz, da justiça, da vida digna, da equidade e dos direitos humanos. Por meio de uma exploração bibliográfica, o artigo visa refletir e aprofundar assuntos relacionados ao tema dos direitos humanos das mulheres, tema este que precisa de aprofundamentos que desencadeiem em ações em favor da busca pelos direitos das mulheres. Relata importantes conquistas já alcançadas pelas mulheres na busca pelos seus direitos, observando que muito ainda precisa ser refletido, questionado, mudado, para que os direitos humanos das mulheres sejam respeitados plenamente. A presente pesquisa questiona relações de desigualdade que não promovem a paz; a justiça; a dignidade; a vida digna e em abundância; reflete sobre o papel das comunidades cristãs de serem geradoras de vida em abundância para todas as pessoas. A partir dessas questões, elabora considerações úteis na busca pelo reconhecimento dos direitos humanos das mulheres; dessa forma, pretende contribuir com as reflexões sobre o tema.</p> Débora Daiane Beyer dos Santos Gisela Isolde Waechter Streck Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 25 36 A terceira mulher e a negação da existência de uma origem sócio-histórica de raiz patriarcal de Lipovetski http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/847 <p>O presente estudo parte de uma análise hipotético-dedutiva embasadas em leituras específicas voltadas ao gênero ou sexualidade, de modo mais atentado para com a obra A terceira mulher: permanência e revolução do feminino, de autoria do professor francês Gilles Lipovetsky (2000). Suscitando a hipótese de que a terceira mulher ou a nominada pelo autor de indeterminada, a mulher moderna, contemporânea, de “querer” ser/estar no papel multifuncional, uma profissional competente, que abraça as obrigações domésticas, de esposa e com um desejo de dedicação extrema em criar seus filhos, sem estar imbuída do vetor histórico cultural patriarcal? Por conseguinte, a linha condutora da reflexão proposta irá abranger dois aspectos, a iniciar pela abordagem das mulheres apresentadas na obra de Gilles Lipovestsky, para, em seguida, atentar para elementos que compõe a negação de uma origem sócio-histórica de raiz patriarcal na terceira mulher.</p> Neusa Schnorrenberger Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 37 53 As “Pretas Feiticeiras” na perspectiva da Arqueologia da Diáspora Africana http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/848 <p>Este artigo aborda algumas questões sobre a materialização das crenças afro-religiosas praticadas nos lares das mulheres negras nas periferias de Bagé e de Pelotas, compreendendo esses conhecimentos situados enquanto saberes afro-diaspóricos ancestrais, perpassados por gerações, através da oralidade. Seguindo a busca por uma prática arqueológica feminista e decolonial, esta etnografia arqueológica, desenvolvida a partir da observação e do convívio com essas mulheres, demonstra como seus saberes e experiências foram importantes no processo de aprendizado sobre a materialização do sagrado afro-religioso, tornando suas narrativas centrais no entendimento sobre a potência existencial das coisas que fazem morada em suas Casas e aquelas que podemos identificar em escavações arqueológicas. Nesse sentido, a crítica feminista e decolonial sobre a Arqueologia da Diáspora Africana pode contribuir com novas epistemologias, ancoradas nas subjetividades e agenciamentos dessas mulheres negras que resistem cotidianamente às opressões e privações impostas pela colonialidade. Essa postura visa contribuir ainda com leituras mais abrangentes sobre os contextos arqueológicos da diáspora africana, incluindo perspectivas que dialogam com as comunidades negras da contemporaneidade.</p> Estefania Jaékel da Rosa Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 54 78 Feminismos, pentecostalismos e linguagem teológica: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/849 <p>Este artigo aborda de forma dialógica a importância das conquistas intelectuais e políticas do movimento feminista, a experiência religiosa pentecostal de mulheres na periferia da cidade e a produção de linguagem teológica libertadora dos tradicionais paradigmas relacionais de gênero. Começo refletindo sobre a linguagem no feminismo, sua importância como teoria analítica e como produtora de sujeito político. Depois descrevo os dados etnográficos coletados em pesquisa sobre o pentecostalismo em contexto de periferia urbana na cidade de Pelotas/RS, tendo em mente a perspectiva de gênero. Por fim, concluo com uma breve consideração sobre a teologia feminista e seu papel fundamental na produção do sujeito religioso, como reformulação de linguagem e como dimensão da vida reivindicada para a liberdade das mulheres, situando a religião (nesse caso o cristianismo) como mais um elemento dialógico na intersecção dos temas que ocupam o pensamento e a militância política do(s) feminismo(s).</p> Thiago Schellin de Mattos Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 79 95 Ensaio sobre teologia progressista e direitos das mulheres brasileiras http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/850 <p>O tema deste trabalho é teologia progressista e direitos das mulheres brasileiras. A questão central que se responde e que guia a reflexão é esta: é possível relacionar e identificar contribuições do pensamento teológico progressista para a conquista de direitos pelas mulheres brasileiras? O objetivo consiste em interpretar as relações e contribuições do pensamento teológico progressista para os direitos das mulheres brasileiras. A tese alcançada é a de que a teologia progressista auxilia de forma complementar os direitos das mulheres brasileiras, pois possibilita a conscientização, o reconhecimento, a valorização e incentiva a luta por direitos e por equidade de gênero. A metodologia integra a lógica dedutiva e as abordagens epistêmicas analítica e interpretativa. O texto é subdividido em dois momentos: no primeiro, analisam-se e interpretam-se o pensamento teológico tradicionalista e o progressista, e no segundo, relaciona-se a teologia progressista com os direitos das mulheres brasileiras.</p> Alana Taíse Castro Sartori Noli Bernardo Hahn Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 96 111 Expediente http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/845 Carolina Bezerra de Souza Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 1 2 Dossiê – Direitos Humanos, Movimentos Feministas e Religião: http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/article/view/843 Rosângela Angelin Carolina Bezerra de Souza Paulo Adroir Magalhães Martins Douglas Rosa da Silva Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-09-02 2021-09-02 7 1 3 6