COISAS DO GÊNERO: REVISTA DE ESTUDOS FEMINISTAS EM TEOLOGIA E RELIGIÃO: Notícias http://revistas.est.edu.br/index.php/genero <p>COISAS DO GÊNERO é um periódico eletrônico semestral do Núcleo de Pesquisa de Gênero e do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST. A revista publica pesquisas científicas, relatos de experiências, resenhas e entrevistas inéditas escritas em português e espanhol e traduzidas de outros idiomas. Enfoca a produção em Estudos de Gênero, Feministas e de Diversidade Sexual nas áreas das Ciências Humanas e Ciências Sociais. Tem caráter interdisciplinar e inclui o entrecruzamento das questões de gênero e sexualidade com outros marcadores sociais como classe social, raça e etnia, geração, deficiência. Assume como foco principal a produção no âmbito da Teologia e das disciplinas que se ocupam com o estudo das religiões.</p> <p>Este periódico está indexado no <a href="https://www.sumarios.org/revista/coisas-do-gênero">Sumários.org</a>, Google Acadêmico e no Catálogo da Biblioteca da Faculdades EST. Cadastrado no <a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/2422">Diadorim</a>, diretório de políticas das revistas científicas brasileiras sobre o acesso aberto aos artigos por meio de repositórios institucionais.</p> pt-BR Tue, 18 Oct 2022 16:58:17 +0000 OJS 3.3.0.3 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Prazo prorrogado - Chamada aberta: DOSSIÊ Ordenação e liderança de mulheres na Igreja: celebrando 40 anos de ordenação de mulheres ao ministério na IECLB http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/17 <p>A edição 2022/2 da Revista Coisas do Gênero, comemora os 40 anos de ordenação de mulheres ao ministério na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. Celebra a liderança, ordenação e consagração de mulheres na igreja cristã em diversos contextos. Reflete também sobre os processos de exclusão de pessoas do ministério ordenado, fundados em valores patriarcais expressos através do sexismo, racismo, classismo, capacitismo e homofobia. Esta edição da Revista acolhe a submissão de artigos, relatos de experiências, memórias e resenhas que abordem temáticas relacionadas à história, testemunho e experiências de mulheres no ministério ordenado: discipulado de iguais; protagonismo das mulheres nos livros sagrados; transformação ministerial e institucional; participação plena de mulheres em todos os espaços de liderança eclesial; bem como relações de poder, desigualdade e violência de gênero; misoginia e perseguição político-religiosa; processos de “desordenação”; ritos religiosos que potencializam a liderança de mulheres; liderança em espaços não eclesiais; processos de institucionalização, patriarcalização e exclusão no ministério eclesiástico.</p> <p>Os textos devem observar as Diretrizes para submissão: <a href="http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login">http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login</a> </p> <p>Prazo limite para artigos: <strong>31 de outubro</strong></p> <p>Prazo limite para memórias e relatos de experiências: <strong>31 de outubro</strong></p> <p>Prazo limite para revisão de autoras e autores: <strong>15 de novembro</strong></p> <p>Dúvidas: coisasdogenero@est.edu.br </p> <p><strong>Organização:</strong></p> <p>Dra. Marcia Blasi - Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST - Brasil e Federação Luterana Mundial - Suíça</p> <p>Ma. Ángela del Consuelo Trejo Haager - Seminario Luterano Augsburgo - México e Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST </p> <p>Ma. Adriana Gastellu Camp - Igreja Sueca - Suécia </p> <p>Dra. Marli Brun - Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST - Brasil </p> http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/17 Tue, 18 Oct 2022 16:58:17 +0000 Coisas do Gênero 2022/2 - chamada aberta: DOSSIÊ Ordenação e liderança de mulheres na Igreja: celebrando 40 anos de ordenação de mulheres ao ministério na IECLB http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/15 <p><span style="font-weight: 400;">A edição 2022/2 da Revista </span><span style="font-weight: 400;">Coisas do Gênero</span><span style="font-weight: 400;">, comemora os 40 anos de ordenação de mulheres ao ministério na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. Celebra a liderança, ordenação e consagração de mulheres na igreja cristã em diversos contextos. Reflete também sobre os processos de exclusão de pessoas do ministério ordenado, fundados em valores patriarcais expressos através do sexismo, racismo, classismo, capacitismo e homofobia. Esta edição da Revista acolhe a submissão de artigos, relatos de experiências, memórias e resenhas que abordem temáticas relacionadas à história, testemunho e experiências de mulheres no ministério ordenado: discipulado de iguais; protagonismo das mulheres nos livros sagrados; transformação ministerial e institucional; participação plena de mulheres em todos os espaços de liderança eclesial; bem como relações de poder, desigualdade e violência de gênero; misoginia e perseguição político-religiosa; processos de “desordenação”; ritos religiosos que potencializam a liderança de mulheres; liderança em espaços não eclesiais; processos de institucionalização, patriarcalização e exclusão no ministério eclesiástico.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Os textos devem observar as Diretrizes para submissão: </span><a href="http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login"><span style="font-weight: 400;">http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login</span></a><span style="font-weight: 400;"> </span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Prazo limite para artigos: <strong>30 de setembro</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Prazo limite para memórias e relatos de experiências: <strong>31 de agosto</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Prazo limite para revisão de autoras e autores: <strong>15 de outubro</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Dúvidas: coisasdogenero@est.edu.br </span></p> <p><strong>Organização:</strong></p> <p><span style="font-weight: 400;">Dra. Marcia Blasi - Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST - Brasil e Federação Luterana Mundial - Suíça</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Ma. Ángela del Consuelo Trejo Haager - Seminario Luterano Augsburgo - México e Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST </span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Ma. Adriana Gastellu Camp - Igreja Sueca - Suécia </span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Dra. Marli Brun - Núcleo de Pesquisa de Gênero - Faculdades EST - Brasil </span></p> http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/15 Thu, 21 Jul 2022 13:39:46 +0000 Convocatoria Coisas do Gênero 2022/2: Ordenación y liderazgo de mujeres en la Iglesia: celebrando 40 años de ordenación de mujeres al ministerio en la IECLB http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/14 <p><strong>Convocatoria: Ordenación y liderazgo de mujeres en la Iglesia: celebrando 40 años de ordenación de mujeres al ministerio en la IECLB</strong></p> <p><span style="font-weight: 400;">La edición 2022/2 de la Revista </span><em><span style="font-weight: 400;">Coisas do Gênero</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2022/2), celebra 40 años de ordenación de mujeres al ministerio en la Iglesia Evangélica de Confesión Luterana en Brasil. Celebra el liderazgo, ordenación y consagración de mujeres en la iglesia cristiana en diversos contextos. También reflexiona sobre los procesos de exclusión de personas del ministerio ordenado, fundamentados en valores patriarcales expresados ​​a través del sexismo, racismo, clasismo, capacitismo y homofobia. Este número de la Revista invita a la presentación de artículos, relatos de experiencia, memorias y reseñas que aborden temas relacionados con la historia, el testimonio y las experiencias de las mujeres en el ministerio ordenado: discipulado de iguales; protagonismo de la mujer en los libros sagrados; transformación ministerial e institucional; plena participación de la mujer en todos los ámbitos del liderazgo eclesial; así como las relaciones de poder, la desigualdad y la violencia de género; misoginia y persecución político-religiosa; procesos de “desorden”; ritos religiosos que empoderan el liderazgo de las mujeres; liderazgo en espacios no eclesiales; procesos de institucionalización, patriarcalización y exclusión en el ministerio eclesiástico.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Los textos deben observar las Directrices para su envío: </span><a href="http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login"><span style="font-weight: 400;">http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/login</span></a><span style="font-weight: 400;"> </span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Fecha límite para artículos: <strong>30 de septiembre</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Fecha límite para memorias y relatos de experiencia: <strong>31 de agosto</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Fecha límite para revisión por autoras y autores: <strong>15 de octubre</strong></span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Duda: </span><a href="http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/management/settings/announcements/mailto:coisasdogenero@est.edu.br"><span style="font-weight: 400;">coisasdogenero@est.edu.br</span></a><span style="font-weight: 400;"> </span></p> <p><strong>Organización:</strong></p> <p><span style="font-weight: 400;">Dr. Marcia Blasi - Núcleo de Investigación de Género – Facultades EST - Brasil y Federación Luterana Mundial - Suiza</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Magister Ángela del Consuelo Trejo Haager - Seminario Luterano Augsburgo - Centro de Investigación México y Género - Faculdades EST</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Magister Adriana Gastellu - Iglesia Sueca - Suecia</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Dr. Marli Brun - Núcleo de Investigación de Género - Faculdades EST - Brasil</span></p> http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/14 Thu, 21 Jul 2022 12:21:06 +0000 Dossiê Coisas do Gênero 2022/1: Prazo prorrogado até 31 de julho http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/12 <p><strong>Gênero e fundamentalismos na América Latina: Narrativas, processos e incidências</strong></p> <p>Os fundamentalismos são formas concretas de interpretar a realidade, estabelecendo posicionamentos, comportamentos e relações conforme essa interpretação. O emprego deste termo, ainda que lastreado por eventos históricos, ultrapassa a especificidade destes eventos. Nesse sentido, não é um termo novo, embora recentemente tenha encontrado eco e aliança no fenômeno das <em>fake news</em> e dos discursos da anti-ciência Segundo a pesquisadora Magali do Nascimento Cunha (2020, p.26) o termo precisa ser assumido no plural uma vez que compreende “expressões político-religiosas que se manifestam na contramão da democracia e dos direitos humanos”. Entre as características dos fundamentalismos religiosos cristãos está o apego à literalidade e inerrância da Bíblia, a seleção de textos de acordo a interesses e projetos políticos, defesa de um modelo heteronormativo de família, condenação da pluralidade e diversidade e dos direitos sexuais e reprodutivos.</p> <p>A inserção de perspectivas desde as diferentes identidades de gênero e diversidade sexual tem transformado e movimentado o cenário político-econômico, educativo, artístico, religioso nos últimos anos. Da mesma forma as interseccionalidades de gênero, sexualidade, etnia, idade, classe social, entre outras, contribuem com a produção de conhecimento e reflexões críticas para o amadurecimento de políticas sociais e institucionais, questionando situações de assédio e violência que se perpetuaram historicamente com argumentos que se pretendiam verdades únicas, universalizantes, “naturais” ou generalizadoras.</p> <p>Esses avanços e riquezas de perspectivas necessitam e podem ser compartilhados como contribuições para a superação dos fundamentalismos. Ainda é um desafio para diversas áreas do conhecimento e lideranças comunitárias compreender ou medir as estratégias, narrativas, e impactos que os fundamentalismos religiosos têm sobre a vida das pessoas e da natureza. Como se materializam? O que tem a ver com os corpos? Como se relacionam com os conhecimentos comunitários e de povos tradicionais? Essas e outras questões provocam e instigam o dossiê “<strong><em>Gênero e fundamentalismos na América Latina: Narrativas, processos e incidências </em></strong>”. Estaremos acolhendo artigos científicos, pesquisas, artes populares e de resistência, relatos de experiências, boas práticas e recursos litúrgicos que contribuam com essa reflexão, auxiliem na superação dos fundamentalismos, despertem a força da justiça e fortaleçam os valores convivencialidade em sociedades participativas, democráticas, diversas, ecumênicas e solidárias. </p> <p>Esta edição da revista Coisas do Gênero é uma parceria entre o Núcleo de Pesquisa em Gênero, da Faculdades EST/Brasil, e o Departamento Ecuménico de Investigaciones – DEI, da Costa Rica.</p> <p><strong>Datas importantes:</strong></p> <ul> <li><em>Prazo limite para receber textos: 31 de julho</em></li> <li><em>Prazo limite para receber artes populares e de resistência: 15 de agosto</em></li> <li><em>Prazo limite para ajustes de autoras e autores: 17 de agosto</em></li> </ul> <p><strong>Dúvidas:</strong> coisasdogenero@est.edu.br</p> http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/12 Thu, 14 Apr 2022 17:11:19 +0000 Aberta chamada para dossiê Coisas do Gênero 2022/1 http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/11 <p><strong>Gênero e fundamentalismos na América Latina: Narrativas, processos e incidências</strong></p> <p>Os fundamentalismos são formas concretas de interpretar a realidade, estabelecendo posicionamentos, comportamentos e relações conforme essa interpretação. O emprego deste termo, ainda que lastreado por eventos históricos, ultrapassa a especificidade destes eventos. Nesse sentido, não é um termo novo, embora recentemente tenha encontrado eco e aliança no fenômeno das <em>fake news</em> e dos discursos da anti-ciência Segundo a pesquisadora Magali do Nascimento Cunha (2020, p.26) o termo precisa ser assumido no plural uma vez que compreende “expressões político-religiosas que se manifestam na contramão da democracia e dos direitos humanos”. Entre as características dos fundamentalismos religiosos cristãos está o apego à literalidade e inerrância da Bíblia, a seleção de textos de acordo a interesses e projetos políticos, defesa de um modelo heteronormativo de família, condenação da pluralidade e diversidade e dos direitos sexuais e reprodutivos.</p> <p>A inserção de perspectivas desde as diferentes identidades de gênero e diversidade sexual tem transformado e movimentado o cenário político-econômico, educativo, artístico, religioso nos últimos anos. Da mesma forma as interseccionalidades de gênero, sexualidade, etnia, idade, classe social, entre outras, contribuem com a produção de conhecimento e reflexões críticas para o amadurecimento de políticas sociais e institucionais, questionando situações de assédio e violência que se perpetuaram historicamente com argumentos que se pretendiam verdades únicas, universalizantes, “naturais” ou generalizadoras.</p> <p>Esses avanços e riquezas de perspectivas necessitam e podem ser compartilhados como contribuições para a superação dos fundamentalismos. Ainda é um desafio para diversas áreas do conhecimento e lideranças comunitárias compreender ou medir as estratégias, narrativas, e impactos que os fundamentalismos religiosos têm sobre a vida das pessoas e da natureza. Como se materializam? O que tem a ver com os corpos? Como se relacionam com os conhecimentos comunitários e de povos tradicionais? Essas e outras questões provocam e instigam o dossiê “<strong><em>Gênero e fundamentalismos na América Latina: Narrativas, processos e incidências </em></strong>”. Estaremos acolhendo artigos científicos, pesquisas, artes populares e de resistência, relatos de experiências, boas práticas e recursos litúrgicos que contribuam com essa reflexão, auxiliem na superação dos fundamentalismos, despertem a força da justiça e fortaleçam os valores convivencialidade em sociedades participativas, democráticas, diversas, ecumênicas e solidárias. </p> <p>Esta edição da revista Coisas do Gênero é uma parceria entre o Núcleo de Pesquisa em Gênero, da Faculdades EST/Brasil, e o Departamento Ecuménico de Investigaciones – DEI, da Costa Rica.</p> <p><strong>Datas importantes:</strong></p> <ul> <li><em>Prazo limite para receber textos: 30 de junho</em></li> <li><em>Prazo limite para receber artes populares e de resistência: 15 de julho</em></li> <li><em>Prazo limite para ajustes de autoras e autores: 22 de julho</em></li> </ul> <p><strong>Dúvidas:</strong> coisasdogenero@est.edu.br</p> http://revistas.est.edu.br/index.php/genero/announcement/view/11 Thu, 14 Apr 2022 17:01:18 +0000