A ALEMANHA E A QUESTÃO DOS REFUGIADOS E MIGRANTES

Autores

  • Christoph Schneider-Harpprecht

Palavras-chave:

Crise migratória, Alemanha, União Européia, Diaconia

Resumo

O artigo se propõe a descrever aspectos básicos da crise européia de migrantes e refugiados a partir do exemplo da Alemanha. Aborda a situação legal, social, econômica e religiosa dos migrantes e refugiados, o desenvolvimento político e as medidas tomadas pelo governo, bem como, o empenho das igrejas e as consequências políticas prováveis deste fenômeno. É necessário que os responsáveis pela política nacional e da União Européia consideram a co-responsabilidade  da Europa pelas crises e guerras nos países árabes e da África, tomando medidas políticas que sirvam a promoção da justiça social, econômica, política e cultural nesses países. A crise de refugiados contém uma grande potencial destrutivo e construtivo. Pode levar à desintegração da União Européia e a transformação dos estados democráticos em "democracias guiadas" com regimes mais autoritários apoiados pela população por motivos de segurança e medo do terrorismo islamista. Mas pode servir também como desafio para juntar as forças e procurar novos caminhos de integração européia e de fortalecer o desenvolvimento de uma sociedade pluralista e tolerante. O lugar das igrejas é ao lado dos oprimidos e perseguidos, defendendo o direito de asilo e os direitos dos refugiados a terem um processo de asilo justo e correto. Devem engajar-se por soluções solidárias e justas que vão ao encontro das necessidades dos migrantes e refugiados.

Downloads

Publicado

08/10/2021

Como Citar

Schneider-Harpprecht, C. . (2021). A ALEMANHA E A QUESTÃO DOS REFUGIADOS E MIGRANTES. Indentidade!, 23(2), 25–37. Recuperado de http://revistas.est.edu.br/index.php/Identidade/article/view/739