Estudos Teológicos http://revistas.est.edu.br/index.php/ET <div id="journalDescription"> <p><strong>Estudos Teológicos </strong>é um periódico semestral do Programa de Pós-Graduação em Teologia da Faculdades EST publicada nos formatos impresso e eletrônico. A revista publica textos inéditos e revistos em português, espanhol, alemão e inglês de pesquisadores/as nacionais e estrangeiros/as na área de Teologia ou Ciências da Religião, eventualmente em interface com outras áreas do saber no âmbito das Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, atuando como um canal de socialização do conhecimento teológico e de pesquisas que apresentem temas relevantes à teologia e à religião.</p> <p><strong> ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)</strong></p> </div> Faculdades EST pt-BR Estudos Teológicos 0101-3130 O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1357 <p style="font-weight: 400;">O filme <em>O Sétimo Selo</em>, de Ingmar Bergman, lançado em 1957, é uma releitura contemporânea do Apocalipse de João. O filme demonstra como, ao retornar de uma longa cruzada na Terra Santa, onde esperava descobrir o sentido de sua vida e a certeza da existência de Deus, o cavaleiro Antonius Block encontra sua pátria devastada pela peste e tomada por visões milenaristas difundidas por procissões dos flagelantes e monges mendigos. Dessa forma, ao retomar antigas recepções do Apocalipse, em especial as recepções medievais, com o objetivo de expressar o novo medo de um possível “apocalipse nuclear”, cheio de símbolos e referências culturais no plano da imagem e do texto, o filme permite a Ingmar Bergman estabelecer um paralelo entre a sensibilidade medieval, nascida da Peste Negra, e seus efeitos na mente das pessoas, e a sensibilidade moderna, marcada pelas consequências das atrocidades da Segunda Guerra Mundial e da descoberta das implicações que as bombas atômica e de hidrogênio poderiam ter para o futuro da humanidade. Entretanto, a sua releitura do Apocalipse não significa apenas a destruição total do mundo. Ela também indica que, em meio às peregrinações e tribulações experimentadas pela humanidade, a salvação se encontra no poder criativo da arte e na comunhão sincera com a família humana, que se expressa na decisão de Antonius Block, seu principal personagem, de salvar uma família de atores circenses, e na comunhão que estabelecem.</p> Paulo Nogueira José Adriano Filho Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 10 31 O Impacto dos Apocalipses Apócrifos de descrição de Além-mundo na Cultura Ocidental: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1222 <p>O presente artigo pretende demonstrar como os textos apocalípticos, sobretudo, os apocalipses apócrifos dos primeiros séculos do Cristianismo Primitivo, impactaram a cultura ocidental ao longo dos séculos e ainda hoje seus efeitos podem ser sentidos na arte, no cinema e em especial, na literatura. Nosso foco específico é voltado para a literatura evangélica contemporânea. Vamos apresentar um dos Apocalipses Apócrifos de maior prestígio no segundo século da Era Cristã, o Apocalipse de Pedro, suas recepções imediatas até o século cinco e ainda algumas reverberações de seus temas na Idade Média, a fim de demonstrar a jornada de longa duração que o tema do Inferno, como lugar de punição de condenados persiste no imaginário religioso popular até os dias de hoje. Para isso, apresentaremos brevemente, uma obra de grande circulação nos anos 90, que teve uma de suas últimas publicações recentemente, em 2015 e foi considerado um Best-seller, no meio evangélico norte-americano, “A Divina Revelação do Inferno” de Mary Baxter, reafirmando nossa hipótese, de que a preocupação com o destino dos mortos, em especial, dos mortos condenados por seus pecados, persiste vivo como nunca, no imaginário religioso cristão.</p> Carlos Eduardo Mattos Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 32 54 Recepção do Apocalipse na cultura pop http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1217 <p>O artigo apresenta como a estrutura literária da</p> <div><em>graphic novel</em></div> <p>(‘romance gráfico”)</p> <div><em>Reino do Amanhã</em></div> <p>, publicada originalmente em 1996, de Mark Waid (argumento) e Alex Ross (arte) segue a estrutura da jornada da viagem celestial típica da literatura apocalíptica judaico-cristã, encontrada no Apocalipse de João. Como base teórica para a leitura da mencionada obra, utiliza a semiótica de Charles Sanders Peirce. O artigo parte do pressuposto de que também na literatura das histórias em quadrinhos pode-se verificar a tese do crítico literário canadense Northop Frye de que a Bíblia é o “grande código” da literatura ocidental. A metodologia utilizada foi bibliográfico-documental. Na conclusão do artigo apresenta-se seu resultado, qual seja, a comprovação do pressuposto que levou à sua composição.</p> Carlos R. Caldas Filho Vanderlis Legramante Barbosa Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 55 74 Apocalipse 10 http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1181 <p>O adventismo do sétimo dia nasceu de um movimento liderado anteriormente por William (Guilherme) Miller, o qual apregoava que Jesus Cristo voltaria à Terra perto do ano de 1844. Como, logicamente, Jesus não regressou, os membros remanescentes daquele movimento buscaram uma resposta para esse desapontamento. Aqui entra em cena Apocalipse 10:9-10, que narra a história de um pequeno livro que era “doce como mel” na boca do profeta, mas “amargo no estômago”. Tal profecia foi interpretada por esse movimento como se referindo ao acontecimento de 1844, dando-lhes uma memória fundante. Dentro desse contexto, o presente artigo se debruça sobre tal história e teologia para entender como se processaram tais transformações, construindo-se as fronteiras identitárias que ainda formam e dão significado a esse grupo. Para tanto, buscam-se nos estudos das memórias instrumentalizações para entender tanto a história como a interpretação teológica de tal texto.</p> Fábio Augusto Darius Rodrigo Follis Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 75 90 Nem conversa mole nem fim da estrada http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/963 <div><span lang="EN-US">Este artigo trata do apocalipse, mais na concepção de fim do mundo do que de revelação, em letras de músicas que são cantadas e ouvidas no Brasil, tanto as do cancioneiro popular como uma das que pertencem, particularmente, à hinódia evangélica. Por meio de pesquisa bibliográfico-documental e de caráter exploratório, nosso objetivo primário é aferir algumas consequências subjetivas, religiosas e sociais das múltiplas formas de se acreditar no fim do mundo apocalíptico e de se apropriar dele. Quanto aos objetivos específicos, a discussão percorre duas direções complementares: (1) identificar o conhecimento socialmente compartilhado no Brasil a respeito do fim do mundo, por meio das letras de algumas canções, bem como compreender como o povo brasileiro canta a respeito do fim do mundo, com diferentes respostas ao mesmo dilema, desde rezar em absoluto até abraçar os prazeres mais imediatos; (2) com base na hermenêutica de Paul Ricoeur, investigar quais são as possíveis intencionalidades e consequências das interpretações nas canções do fim do mundo. </span></div> <p>Como método, o conceito de linguagem simbólica é apropriado para explorar as formas pelas quais diferentes possibilidades interpretativas realizam formas diversas de apropriação, por exemplo, do texto apocalíptico de João, assim como implicam modelos de abertura ou fechamento para variedades outras de significação. Paradoxalmente, a etimologia de apocalipse, como revelação de coisas (futuras) por meio dos textos sagrados, desvela símbolos que trazem sentido em si mesmos, mas que também precisam ser pensados, já que continuam abertos à participação interpretativa de quem os lê (ou ouve).</p> Breno Martins Campos Fernando Nascimento Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 91 107 Sagrado e Cultura no Mundo Secularizado http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1281 <div><span lang="EN-US">WESTPHAL, Euler Renato. <em>Secularization, Cultural Heritage and the Spirituality of the Secular State:</em> Between Sacredness and Secularization. 1. ed. Paderborn: Brill/Verlag Ferdinand Schöningh, 2019. v. 1. 119 p. </span></div> Glauco Barsalini Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 211 215 Expediente http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1668 Marcelo Saldanha Copyright (c) 2022 2022-07-19 2022-07-19 62 1 Editorial http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1667 Paulo Nogueira Copyright (c) 2022 2022-07-19 2022-07-19 62 1 8 9 Uma análise sociológica da teologia do cotidiano nos quadrinhos http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/994 <p style="font-weight: 400;">O presente artigo faz uma análise, na forma de ensaio analítico, das estruturas teórico-metodológicas da teologia do cotidiano implementada pelo teólogo Iuri Andréas Reblin para analisar os produtos de entretenimento da cultura pop midiática, especialmente associados às histórias em quadrinhos. Avalia suas bases na teologia de Paul Tillich e Rubem Alves e problematiza uma associação de seus procedimentos com a sociologia dos objetos, enfatizando seu caráter fronteiriço. Discute seus parâmetros metodológicos que ambientem os modos de fazer de uma teologia do social aplicada aos objetos de entretenimento artístico-midiáticos das imagens desenhadas, extraindo de seus ensaios uma teoria metodológica. Finaliza enfatizando os vínculos entre uma teologia do cotidiano e uma sociologia dos objetos esclarecendo que suas diferenciações não estão na dimensão metodológica dos passos que se toma para garantir a confiabilidade da análise do que é subjetivo e da preocupação em analisar os fenômenos, mas nos objetivos fins da ação.</p> Amaro Xavier Braga Jr Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 108 122 Pentecostalismo Clássico no Brasil http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/944 <p style="font-weight: 400;">A universalização de uma religião em novos contextos traz em seu bojo a diferenciação entre adaptação e preservação de princípios, que dependem das condições políticas, econômicas, sociais e culturais. Segundo conceitos de Clifford Geertz, que nos servirão de aporte teórico neste artigo, a universalização de uma religião preserva aspectos doutrinais centrais independentemente do contexto, mas se adapta de forma diversificada em direções distintas, inclusive contraditórias e ambíguas. Assim, o presente artigo, um recorte de uma tese de doutorado, busca compreender o pentecostalismo clássico assembleiano brasileiro, mais que centenário, a partir do eixo da doutrina e de sua flexibilidade no meio cultural ainda marcado pela pobreza.</p> Eduardo Leandro Alves Oneide Bobsin Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 123 140 Referenciais bioéticos na interface dos cuidados paliativos http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/943 <p>No contexto da pandemia da COVID-19, diante do avanço acirrado do coronavírus no Brasil e no mundo, inúmeras perdas humanas, pacientes em extrema vulnerabilidade, intubados e isolados, intensas jornadas de trabalho das equipes de saúde, de que forma a família do paciente foi acolhida e cuidada? A Bioética, como ética de respeito à vida e à dignidade, respalda o cuidado integral à família, em vista da dificuldade da assistência multidisciplinar de inserir os familiares no processo de cuidar e de receber suporte para lidar com a dor, perda, sofrimento e morte. O presente estudo tem como objetivo identificar referenciais éticos que se apresentam em modelos da Bioética, a fim de compor uma base de preceitos que auxiliem o suporte assistencial de cuidados à família, na pandemia e na pós-pandemia da COVID-19 e identificar como estão sendo utilizados estes referencias bioéticos nos cuidados paliativos à família do paciente, no contexto dessa pandemia. Pelo método de revisão bibliográfica e investigação qualitativa, identificaram-se os impactos do pensamento cartesiano na área clínica e o necessário resgate da humanização nos cuidados em saúde. Da Bioética de Potter à atual abordagem da Teoria dos Referenciais de Hossne, observam-se predicados bioéticos que contribuem para a ampliação da assistência e cuidado da família. Salientam-se a Escala Axiológica de Hospitalidade e suas propriedades psicométricas de mensuração dos valores éticos relacionados ao acolhimento do paciente e da família e com o auxílio das tecnologias como novas formas de comunicação na pandemia. Conclui-se que os referenciais bioéticos identificados imprimem relevância ao cuidado humanizado e à preservação da dignidade do paciente e da família. Os referenciais bioéticos no cenário da COVID-19 tencionam possibilidades de ressignificar experiências e sentidos na elaboração da perda, no luto e na prevenção de futuras doenças, diante das premissas de responsabilidade e compromisso da equipe de saúde com a vida da família no enfrentamento da morte de seu ente querido.</p> Waldir Souza Vera Lúcia Wunsch Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 141 160 “O futuro de nossas Igrejas” http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1385 <p>O presente artigo reflete acerca da teoria e da prática missionárias em perspectiva luterana. Em um primeiro momento, faz um breve apanhado histórico, que indica que a temática da missão teve, ao longo do tempo, uma trajetória continuamente ameaçada de marginalidade ou até de exclusão, na tradição associada a Martim Lutero. Num segundo momento, o artigo constata o consenso atual em torno da relevância da missão na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), consenso esse que se concretiza no chamado “Plano de Ação Missionária da IECLB” (PAMI). São apresentadas, a seguir, duas sugestões para a reflexão missiológica e a prática missionária, na perspectiva da tradição luterana: uma, a partir da teologia da cruz; outra, com enfoque na liberdade cristã. O texto encerra com reflexões sobre desafios e perspectivas futuras para a IECLB.</p> Martin Timóteo Dietz Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 161 180 Teologia negra e das resistências espirituais afrodescendentes http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1259 <p>Este artigo busca assumir a crítica decolonial no quefazer teológico e, assim, retirar da invisibilidade as lutas e resistências espirituais da comunidade negra. Um passo importante é desvelar o racismo como a principal fratura na intersubjetividade que impede o advento de nossa comum humanização e, ao mesmo tempo, recuperar a cartografia da resistência da comunidade negra que cria comunidades a partir da solidariedade no sofrimento. Uma teologia da libertação sensível às lutas e às resistências da comunidade afrodiaspórica deve estar comprometida com o desengate da matriz de poder colonial e, evidentemente, do eurocentrismo da teologia tradicional e abrir-se às epistemologias outras. A pesquisa será de análise bibliográfica, dando primazia ao pensamento negro, isto é, uma perspectiva interdisciplinar.</p> Cleusa Caldeira Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 181 196 A Diaconia de Rute http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/1348 <p style="font-weight: 400;">Este artigo aborda o livro de Rute a partir de três aportes: a Teologia Feminista com a suspeita e a categoria de gênero para descortinar tanto violências como protagonismos; a análise da narrativa para uma caracterização de Rute que mostrou a construção de uma personagem exemplar; e, finalmente, sob a ótica do conceito de diaconia. Apresentamos uma aproximação do entendimento teológico sobre diaconia, para mostrar que a relação entre Rute e Noemi, sua sororidade e agência podem ser entendidas dentro dessa perspectiva, o que nos mostra que os valores diaconais propagados nos Evangelhos já estavam presentes na teologia popular pós-exílica.</p> Josiane Velten Carolina Bezerra de Souza Copyright (c) 2022 Estudos Teológicos 2022-07-19 2022-07-19 62 1 197 210