Estudos Teológicos http://revistas.est.edu.br/index.php/ET <div id="journalDescription"> <p><strong>Estudos Teológicos </strong>é um periódico semestral do Programa de Pós-Graduação em Teologia da Faculdades EST publicada nos formatos impresso e eletrônico. A revista publica textos inéditos e revistos em português, espanhol, alemão e inglês de pesquisadores/as nacionais e estrangeiros/as na área de Teologia ou Ciências da Religião, eventualmente em interface com outras áreas do saber no âmbito das Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, atuando como um canal de socialização do conhecimento teológico e de pesquisas que apresentem temas relevantes à teologia e à religião.</p> <p><strong> ISSN 0101-3130 (impresso) ISSN 2237-6461 (eletrônico)</strong></p> </div> Faculdades EST pt-BR Estudos Teológicos 0101-3130 Editorial http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/754 Marcos Vinicius de Freitas Reis Marcelo Saldanha Júlio Cézar Adam Elivaldo Serrão Custódio Sérgio Rogério Azevedo Junqueira Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 6 10 EXAMEN CRÍTICO DE LA PERSPECTIVA GEOGRÁFICA DEL TEMPLO EN LA ESCENA DE LA VIUDA POBRE DE MARCOS 12,41-44 http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/777 <p>El Evangelio de Marcos describe una escena en donde una viuda pobre ofrenda todo lo que tiene (Mc 12,41-44). Si bien el relato ocurre en el templo, el pasaje no especifica en qué lugar del templo en particular los eventos de la perícopa acontecen. Los intérpretes en general establecen que el evento ocurre en el atrio de las mujeres, en frente de la cámara del tesoro. Este artículo crítica esta conclusión, entre otras propuestas, evaluando las dos principales fuentes usados por estos autores (Josefo y Mishná). Metodológicamente el trabajo examina críticamente las fuentes usadas por la literatura secundaria, y analiza la perícopa desde una perspectiva literaria, asumiendo por tanto una lectura sincrónica.</p> Carlos Olivares Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 196 208 A LUTA PELA BÍBLIA EM VERNÁCULO NA IDADE MÉDIA: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/778 <p>O presente artigo pretende tratar das traduções da Bíblia medieval em vernáculo, com ênfase na primeira tradução em neerlandês. Tratamos inicialmente das traduções da Bíblia para a língua vernácula até o século XI, período no qual os projetos de tradução tinham patrocínio de imperadores e papas. A situação mudou bastante depois da Reforma Gregoriana, nos séculos XI-XII, quando a produção dos manuscritos foi racionalizada e a formação espiritual dos leigos ganhou mais importância. Somente a partir do século XIII, as traduções da Bíblia foram feitas para alcançar um público mais amplo. Esse é também o caso da primeira versão neerlandesa em prosa, do ano 1361. Ela foi comissionada por um cidadão de Bruxelas, Bélgica, e o tradutor foi um monge cartuxo, nomeado Petrus Naghel (†1395). Analisamos o perfil do tradutor e mostramos como a tradução foi contestada, por vários motivos, durante a segunda metade do século XIV.</p> <div id="gtx-trans" style="position: absolute; left: 813px; top: 170px;"> <div class="gtx-trans-icon">&nbsp;</div> </div> Michel Mario Kors Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 209 222 SÍMBOLOS RELIGIOSOS EM ESPAÇOS PÚBLICOS NO BRASIL: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/779 <p>O artigo esboça questões pertinentes à valoração do religioso no âmbito do arcabouço jurídico brasileiro, particularmente em sua expressão católica e cristã. Trata-se de uma valorização demonstrada na forma de aproximações, contatos e compromissos entre as instâncias do Estado e as organizações religiosas. A hipótese é que, dentro do atual quadro da diversidade religiosa em sua relação com a laicidade, o grande desafio não está apenas na presença da religião nos espaços públicos, mas nos monopólios e privilégios com um caráter exclusivista engendrado por determinados grupos religiosos.</p> Celso Gabatz Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 223 238 MINDFULNESS E ESPIRITUALIDADE COMO ESTRATÉGICA DE ENFRENTAMENTO EM SITUAÇÕES DE CRISE http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/780 <p>A pandemia da Covid-19 provocou grandes perdas, gerou angústia e sofrimento, obrigou a humanidade a encontrar novas respostas frente à situação urgente e inusitada. Como lidar com essas situações a partir da espiritualidade e a partir da psicologia? Como desenvolver estratégias de enfrentamento da crise e como colocar isso a serviço de pessoas, grupos e da comunidade? Uma das tentativas de responder a essa questão foi a oferta de um curso de extensão combinando de forma experimental mindfulness e espiritualidade. Considerando essa proposta, os objetivos principais deste artigo é apresentar o mindfulness e a espiritualidade como propostas estratégicas de enfrentamento de crises como a pandemia. Além da introdução, onde o impacto da pandemia é brevemente esboçado e a proposta do curso de extensão é apresentada, o artigo está organizado em duas partes e a conclusão. Na primeira parte se define o mindfulness e como ele pode contribuir para situações de crise como a pandemia. Na segunda parte, se faz o mesmo com a espiritualidade. Na conclusão, destacam-se algumas percepções sobre o papel do mindfulness e da espiritualidade no enfrentamento da pandemia e aponta-se para possibilidades futuras de aproximação entre mindfulness e espiritualidade.</p> Clairton Puntel Júlio Cézar Adam Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 239 255 AFINAL, A FÉ É, OU NÃO, DE TODOS? http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/781 <p>Este artigo se propõe a discutir o conceito de fé a partir de dois autores, respectivamente, de duas obras clássicas, uma, do teólogo Karl Barth e outra, da psicanalista, Ana-María Rizzuto, perguntando-se pela (in)compatibilidade de suas respostas em relação à pergunta fulcral: a fé é, ou não, de todos? A resposta, compatível àquela da Bíblia Sagrada, é que nem a fé nem sua ausência é de todos, haja vista a soberania de Deus, em sentido teológico estrito, e, lato antropológico, pela sua mediação espiritual, bio, psicossociocultural. Portanto a fé de Deus (cristã) é dádiva e não se encontra no âmbito do disponível, ainda que implique decisão humana, nesta ou naquela direção e, nem sempre, consciente.</p> Sidnei Vilmar Noé Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 256 270 UMA ABORDAGEM COMUNICACIONAL DO CICLO DO MARABAIXO EM MACAPÁ: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/755 <p>Neste artigo, procuramos observar a tradicional festa do Marabaixo em uma dimensão comunicacional, acionando elementos da teoria da folkcomunicação. Por meio de pesquisa de campo em um barracão tradicional que produz a festividade, no conhecido Bairro do Laguinho, em Macapá (Amapá), procuramos identificar os elementos que, no Marabaixo, expressam a relação que práticas de comunicação estabelecem na constituição dos ritos e processos característicos da festa. Consideramos que os elementos da folkcomunicação identificados produzem o que entendemos ser uma dimensão simbólica potente com papel central na transmissão de informação e conhecimento em torno da memória que ressignifica a tradição do Marabaixo.</p> Antonio Sardinha Daniel Cordeiro Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 12 24 ACALMANDO OS “ESPÍRITOS” DA FLORESTA: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/756 <p>Com o propósito de propor caminhos de compreensão da religiosidade amazônica, analisamos neste texto uma manifestação religiosa indígena observada no interior de um grupo que se identifica como Baré e que remete a um longo processo histórico de formação dos grupos sociais que habitam essa região. A situação analisada por meio de uma abordagem etnográfica, vivenciada por um dos autores, ocorreu no rio Cuieiras, margem esquerda do baixo rio Negro, zona rural do município de Manaus, Amazonas. Na construção do texto, apresentamos a descrição de uma experiência religiosa, confirmada por observação participante entre os anos de 2004 e 2018 pertinente para pensar a configuração religiosa amazônica. Isso possibilita uma reflexão sobre a temática fazendo considerações sobre os sentidos atribuídos a tais práticas religiosas. Com isso, pretendemos pensar práticas religiosas que nem sempre seguem rigidamente os moldes tradicionais conhecidos e que se constituem manifestações plurais das formas de compreensão do fenômeno religioso no contexto amazônico. Foi possível perceber que os sujeitos pesquisados precisam ter suas subjetividades valorizadas como autores de suas próprias narrativas, que deve haver uma aproximação epistemológica do conceito de religião com o conceito de cultura e que a pluralidade de formas de manifestação seja um fator instigante para novas descobertas e questões de pesquisa.</p> Marcos Flávio Portela Veras Daniel Barros de Lima Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 25 39 REPENSANDO A CHEGADA DO CANDOMBLÉ EM BELÉM DO PARÁ: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/757 <p>Este artigo objetiva reler a história do candomblé no Pará a partir da biografia do <em>alabê</em> baiano radicado nessa capital conhecido como Banjo (Ivonildo dos Santos). Um homem negro que migrou de seu estado de origem, durante a década de 1980, para auxiliar no processo de institucionalização dessa nova matriz religiosa em território amazônico. Sua importância reside no fato de compor a equipe de especialistas com conhecimento teológico capaz de implementar e ensinar uma religião até então desconhecida. O capital simbólico, baseado na profunda competência ritual e na naturalidade soteropolitana, faz desse sujeito um personagem ambíguo que transita entre os cargos da hierarquia do candomblé. Sem ser iniciado para tal, assumiu funções sacerdotais, causando conflito e disputas de poder no interior da comunidade. Diante do exposto, contaremos sua história no intento de, a partir dela, entender o campo afro-religioso local e mapear os conflitos estabelecidos no interior do mesmo. Para tal, realizamos um levantamento da bibliografia africanista local, diagnosticando a ausência de estudos mais aprofundados sobre a temática, e realizamos entrevistas com a comunidade.</p> Taissa Tavernard de Luca Patrícia Moreira Perdigão Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 40 53 O DIÁLOGO ECUMÊNICO E INTER-RELIGIOSO NO SÍNODO PARA A AMAZÔNIA http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/769 <p>O Sínodo para a Amazônia teve como tema central: “Amazônia: os novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”. Junto às questões sociais e ambientais refletidas em conexão com o tema central, o Sínodo tratou do pluralismo religioso e eclesial na região amazônica. O intento foi afirmar a convicção de que existe um vínculo estreito entre diálogo e missão, sendo o diálogo entendido como elemento constitutivo da missão da Igreja. Dentre as diversas expressões de fé existentes na região amazônica, os documentos do Sínodo mostram especial atenção às religiões dos povos indígenas, às de matriz afro e ao pentecostalismo. As religiões indígenas são assumidas como interlocutoras preferenciais do diálogo. A partir de então, busca-se explicitar como o diálogo configura os “novos caminhos” que a Igreja percorre na Amazônia, por um processo de evangelização que defenda e promova a vida humana e ambiental.</p> Elias Wolff Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 54 77 FEITIÇARIA E CATOLICISMO EM PROCESSOS DE DESQUITE (BELÉM-PA, 1916-1930) http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/770 <p>Feitiçaria e catolicismo são os eixos temáticos destas reflexões. Esses domínios religiosos foram interpretados através de querelas conjugais presentes em processos de desquite impetrados na cidade de Belém-PA das primeiras décadas do século XX. Dito de outro modo, aquelas matrizes religiosas se transformaram – no interior do Tribunal de Justiça do estado do Pará – em necessárias e prudentes estruturas de acusação e defesa para diversificados cônjuges que se encontravam insatisfeitos quanto ao curso cotidiano que suas relações a dois tomavam, por isso resolveram impetrar auto contencioso de separação conjugal. Isto posto, essas tramas do dia a dia foram dadas a entender por meio da análise de 13 pleitos litigiosos de separação impetrados na Comarca da capital do estado, então, nessa conjuntura, o argumento central contido no presente artigo é o de analisar o quanto o repúdio à feitiçaria firmou-se a partir de linguagens emanadas do catolicismo. À vista disso, partiu-se da concepção de que a feitiçaria – em vários aspectos – ajudou a alimentar certezas religiosas católicas, porquanto, para o combate dela, recorrentemente, usou-se água benta, rosário, chave cruzada, imagem de Nossa Senhora de Nazaré, cruz, crucifixo, ou seja, essas foram significadas como ferramentas essenciais a militar contra a feitiçaria, que em seus ritos empregava: galinha preta, urubu, canela de urubu, sangue de animais (galinha, porco, bode, urubu), farofa, bebidas (cachaça, vinho), utensílios de barro (pratos, panelas), roupas (camisas, calças, paletós), fotografias e velas.</p> Ipojucan Dias Campos Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 78 95 MITOS, RITOS E TERRITÓRIO: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/771 <p>A exemplo das outras capitais brasileiras que não conseguiram conciliar o crescimento populacional com políticas públicas de habitação, a cidade de Manaus sofre com o aumento desordenado e caotizado dos bairros favelados. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Habitação, entre janeiro e agosto de 2019, ocorreram mais de 55 ocupações. Nesses locais, inúmeros problemas sociais ganham destaque como a criminalidade, porém, um fato chama atenção, a saber, o crescimento das igrejas pentecostais. Utilizamos as hermenêuticas de Geertz (1978), na sua Antropologia Simbólica e a Sociologia Compreensiva de Weber (1999), como critérios interpretativos do processo de implantação da Igreja Pentecostal no século XXI, tomado como evento da urbanidade. Assim, analisamos a relação entre o crescimento pentecostal e as novas ocupações de terras na capital amazonense a partir da tríade conceitual, mito, rito e território como categorias interpretativas para tal fenômeno social.</p> Marilina Conceição Oliveira Bessa Serra Pinto Oliveira Bessa Serra Pinto Fanuel Santos de Souza Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 96 109 IMPLANTAÇÃO E AVANÇO DO PENTECOSTALISMO NA AMAZÔNIA MARANHENSE: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/772 <p>O presente artigo trata da implantação do pentecostalismo nos limites geográficos da Amazônia maranhense, especificamente na região Sul e Sudoeste do estado do Maranhão, com foco na cidade de Imperatriz. A temporalidade é de 1952 a 1984. A cidade de Imperatriz foi alvo de duas missões religiosas: a primeira em 1852, capitaneada pela Igreja Católica a serviço do governo provincial do estado do Pará, que deu origem à cidade, e a segunda, cem anos depois, responsável pela implantação de igrejas pentecostais que, por meio do Serviço de Evangelização dos Rios Tocantins e Araguaia – SETA, que estabeleceu igrejas nas regiões sul do Pará, sul do Maranhão, norte do Goiás (atual Tocantins) e no norte do Mato Grosso.</p> Moab César Carvalho Costa Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 110 125 CIÊNCIA DA RELIGIÃO E ENSINO RELIGIOSO NO NORTE DO BRASIL: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/773 <p>O presente artigo tem por objetivo promover discussão teórica para compreender as atividades na região amazônica no tocante à área de Ciência da Religião. Nos últimos anos, percebemos aumento das atividades de ensino, pesquisa e extensão vinculadas à área de Ciência da Religião no contexto amazônico. Universidades federais, universidades estaduais e associações de professores e professoras de Ensino Religioso da região Norte têm organizado eventos científicos, publicações e outras iniciativas acadêmicas com o intuito de ampliar as discussões acerca da diversidade cultural e religiosa.</p> Marcos Vinícius de Freitas Reis Sérgio Rogério Azevedo Junqueira Rodrigo de Oliveira Santos Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 126 140 NOTAS SOBRE OS BASTIDORES DE UM VIDEODOCUMENTÁRIO SOBRE UM TERREIRO DE CANDOMBLÉ DE CIDADE http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/774 <p>Este texto foi gerado de encontros. Encontros distintos, pulsantes e produtivos e que, a partir de interesses individuais de duas pesquisadoras, cada uma em tempo também marcados por suas pesquisas, se juntaram para produzirem um videodocumentário. A intenção era produzir um registro visual, documental e artístico visual de um terreiro de candomblé. Porém, para além do registro documental, a intenção da produção era apreender, procurar outros sentidos de intervenção social e cultural dessas casas de axé na dinâmica da cidade de Macapá/AP. Assim, tanto o documentário quanto este texto reúnem, expressam e compõem reflexões e análises acerca das interações sociais e culturais, sobretudo visuais como fenômenos que inscrevem percepções sensórias de aproximações que visibilizam e reconfiguram a compreensão do espaço urbano. A partir de imagens fixas e em movimentos, tramamos reflexões dos instantes e momentos do cotidiano da vida religiosa, intensificando o debate e ampliando perspectivas de atuação de um terreiro de candomblé na história e feitura da cidade. O objetivo das reflexões é ampliar e ao mesmo tempo aproximar lembranças com esse espaço, mas também preservar este patrimônio – o terreiro –, que é parte e se mescla com o desenvolvimento dessa cidade do norte da Amazônia, bem como seus estranhamentos e suas cosmologias.</p> Maria Conceição da Silva Cordeiro Silvia Carla Marques Costa Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 141 157 FESTA, DEVOÇÃO E IDENTIDADES NO CÍRIO DE NAZARÉ EM BELÉM (PARÁ) http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/775 <p>O artigo aborda o Círio de Nazaré, festividade religiosa realizada todos os anos no segundo domingo de outubro, na cidade de Belém, no estado do Pará. Em perspectiva etnográfica, o trabalho focaliza a festa como ritual, examinando processos de organização e preparação, o engajamento de fiéis, associações e instituições públicas e privadas, através da realização de ladainhas e procissões que antecedem o evento. Por ocasião dos festejos do Círio, o artigo aborda as procissões, as formas de pagamento de promessas e as manifestações culturais. Como fato social total, a análise do Círio de Nazaré revela um amplo repertório, envolvendo atividades e atores diversos. Nesse aspecto, destacam-se mecanismos de construção de identidades em um caleidoscópio de ações que ora são manifestas pela igreja, ora por segmentos da sociedade civil. Nesses construtos, identidades paraense e amazônica são priorizadas entre práticas e representações no contexto da festa.</p> José Maria da Silva Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 158 171 RELIGIÃO E EDUCAÇÃO: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/776 <p>O presente artigo discorre sobre religião e educação, mais precisamente sobre a literatura amapaense (LA) no espaço escolar. Tem por objetivo analisar os conteúdos das canções de Marabaixo no Amapá com intuito de desenvolver e/ou apresentar possíveis práticas pedagógicas sobre a LA, buscando salientar as riquezas e os mistérios dos referidos preceitos a partir da cultura e da religiosidade regional. Trata-se de um estudo qualitativo que usou como instrumentos de coleta de dados o levantamento bibliográfico, a análise documental e o questionário como forma de investigação. A abordagem refere-se ainda a uma pesquisa colaborativa através de momentos de discussões e reflexões sobre a LA como forma de re(conhecimento) da cultura e da religiosidade regional. O estudo foi realizado no segundo semestre do ano de 2018 com uma amostra do quantitativo total de alunos do 1° e 3° anos do ensino médio em uma escola localizada no município de Santana-AP. Os resultados revelam que grande parte dos discentes pratica a leitura e gosta de literatura. Porém, a carência e a falta da implantação desse componente no currículo escolar regional são urgentes, já que muitos dos alunos e alunas da rede pública estadual desconhecem e/ou não tiveram acesso a esse material específico durante o percurso de seus estudos na educação básica, dificultando assim o entendimento e/ou compreensão do valor e importância da LA como patrimônio cultural e religioso.</p> Elivaldo Serrão Custódio Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 172 193 JUSTIÇA E MISERICÓRDIA EM JOHN WESLEY: http://revistas.est.edu.br/index.php/ET/article/view/782 <p class="p1">Resenha de: RENDERS, Helmut. <strong>John Wesley e a luta abolicionista</strong>: com edição bilíngue dos seus pensamentos sobre a escravidão. São Paulo: ASTE. 2019. 185p.</p> <div id="gtx-trans" style="position: absolute; left: 408px; top: 50px;"> <div class="gtx-trans-icon">&nbsp;</div> </div> Lucas Andrade Ribeiro Copyright (c) 2021 2021-08-20 2021-08-20 61 1 272 275